terça-feira, 13 de novembro de 2018

É IMPRESSIONANTE O QUE A VIDA NOS ENSINA!

A vida... não! Os acontecimentos que nela se desenrolam e que muitas vezes nos arreliam e desalentam e nos fazem desesperar e chorar!
Há momentos em que não se consegue fazer nada... mas depois... tudo muda!
Ainda que sozinhos... nunca estamos sós! Há um Deus que nos habita e aproveita todas as ocasiões para nos ensinar o que é viver ao jeito de Jesus Cristo!
Já agora... e porque estou com muita pressa para correr para junto do ‘meu’ cristo... quando dizemos que é preciso aprender a ver Cristo no outro... e até pensamos que vemos... não estaremos enganados ou enganadas?!...
Para ver Cristo no outro temos que amar muito a Cristo e ao outro, ambos filhos de Deus Pai... que sendo Amor como é... só existe onde há Amor!
O último gesto do Amor é dizer amo-te... porque o Amor não são palavras... mas gestos... atitudes... presença... doação... compreensão... aceitação... entrega... e depois de todos estes e não sei quantos outros gestos, quando não podemos nada mais fazer pela pessoa amada... surgirá o eu amo-te... ou seja, não posso fazer nada mais por ti... fiz tudo o que podia e faço tudo o que posso.
É deveras impressionante o que a vida nos ensina... nos vai ensinando todos os segundos!
Ver Cristo no outro... é olhá-lO... na pessoa amada e esmagada pela dor tal como Cristo esteve... e dizer com ela ou por ela as mesmas palavras de Cristo! ´Pai, se Te é possível... afasta de Mim este cálice! Mas se não pode passar sem que o beba (bebamos)... faça-se a Tua vontade!
«»
"TEMOS SEMPRE ALGO PARA DOAR"
Mesmo se não tivermos nada de material, temos muito a oferecer. Basta pensar nos nossos talentos e aptidões, na capacidade de dar uma palavra de conforto, numa presença amiga em momentos importantes na vida do outro.
Ou ainda, em pequenos gestos como: ajudar a pôr a mesa, responder uma mensagem, fazer aquele trabalho sempre igual, guiar o carro, preparar a refeição, estudar com um colega que tem dificuldade na matéria, recolher o lixo, compartilhar uma alegria, oferecer um sorriso, escutar, oferecer orações. Enfim, cada gesto que fazemos como um serviço é um dom para o outro, porque nos doamos nós mesmos. Doar o nosso tempo exprime a prontidão em dar a nossa vida por alguém.
A economia que nasce do amor vai além da compreensão humana. Todos nós, sem exceção, temos sempre algo para doar.
Abraços
Apolonio
«»
Estas palavrinhas do Apolonio talvez minimizem um pouco as minhas, ou melhor dito, são para nos ensinar a amar ao jeito de Jesus Cristo como o Pai Amor deseja para todos nós!
Para todos um bom dia, cheio de graças e bênçãos, e muitas... muitas aprendizagens.
Prestemos atenção para as vermos e sentirmos como a todos convém!
Se fossemos capazes de o fazer... como o mundo ficaria melhor!
HN

domingo, 11 de novembro de 2018

MARAVILHAS... DE DEUS!


Sem dúvida alguma! São maravilhas de Deus feitas por Ele através dos Homens. Aliás... os homens e mulheres... são maravilhas de Deus, lugares onde Deus habita, ou visivelmente nas boas atitudes e obras praticadas ou escondido entre a prática de asneiras... não sabemos como nem porquê. Um Ser Humano quando nasce, vem de Deus e com Deus, não pode, de forma alguma, ser tão mau assim! Razão porque se pode repetir sem parar: haja tolerância, compreensão, ajuda para essas pessoas que vemos ser muito más se reencontrarem a si mesmas, no Deus que, escondido, as habita.
Hoje... não pensava vir aqui escrever fosse o que fosse! Mas... quedei-me frente ao correio eletrónico! E entre outras maravilhas... acerca da Liturgia de hoje deparei-me com esta de São Pedro Crisólogo... que me diz tanto!...
«»
O facto de encontrarmos um objeto que tínhamos perdido enche-nos de uma alegria nova cada vez que ocorre. E esta alegria é maior do que a que experimentávamos, antes de o perder, quando aquele objeto estava bem guardado. Mas a parábola da ovelha perdida fala mais da ternura de Deus do que da maneira como os homens habitualmente se comportam. E exprime uma verdade profunda: abandonar o que tem importância por amor do que há de mais humilde é próprio do poder divino, não da cobiça humana. Porque Deus faz existir o que não é; Ele parte à procura do que está perdido guardando o que deixou ficar para trás, e encontra o que se tinha transviado sem perder o que está à sua guarda.
É por isso que este pastor não é da Terra, mas do Céu. A parábola não é de forma alguma uma representação de obras humanas, mas esconde mistérios divinos, como é demonstrado cabalmente pelos números que menciona: «Quem de vós, que possua cem ovelhas e tenha perdido uma delas...» Como vedes, a perda de uma só ovelha magoou tanto o pastor como se o rebanho inteiro, privado da sua proteção, se tivesse metido por um caminho errado. É por isso que, deixando as outras noventa e nove, ele parte à procura de uma só, [...] a fim de, nela, as encontrar e as salvar a todas.
«»
Não sei explicar o que me vai na alma depois desta leitura!
Não sei quem é Deus! Cada vez percebo menos quem Deus é... e cada vez sinto mais a presença de Deus na minha vida e na vida das pessoas que me rodeiam, a abrir caminhos, a endireitar veredas!
Não sei viver sem Deus! Não quero viver sem Deus... que é tudo para mim... que... se O conseguirmos descobrir em nós... e aceitar o que Ele pretende de nós... podemos não saber o dia de amanhã que lhe pertence, mas que será bom... será!
Será feliz, ainda que a chorar!
Não podemos esquecer as viúvas das Leituras deste Domingo... e das maravilhas que com uma foi feita... e com outra foi dita, explicada! Assim como também devemos lembrar o São Martinho que dividiu a capa com o mendigo e tem hoje o seu dia de festa!
Mendigos... não são só os que precisam de esmolas físicas, pois os maiores mendigos são mesmo os que não conseguem descobrir o Amor de Deus que os criou e trazem em si... escondido no meio de tantas ações feias! Ajudemo-los! Não os esqueçamos! Odiemos as suas ações, mas amemo-los como Deus os ama e quer reaver!
Que sempre sejas bendito, Senhor!
Bom Domingo
HN  

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

HÁ COISAS... QUE NÃO SÃO DE DIZER!...


Hoje... o dia começou com surpresas muito desagradáveis, desagradabilíssimas... e terminou bem. Bem mesmo!
Há coisas que não são de dizer... são de viver! Porque ditas... ninguém as acredita!
Não é que isso me interesse muito, porque o acreditar em mim ou não... logo que eu seja sincera e verdadeira... não é assunto meu, é de quem não consegue conhecer-me como sou!
O tentar conhecer melhor as pessoas com quem convivemos deve ser uma preocupação de todos!
Até porque todos somos criaturas com marca indelével da imagem de Deus, ou melhor dito, somos pessoas habitadas por Deus. E quanto a isso, não tenho ilusões!
E as experiências que a vida me tem dado dizem-me isso mesmo!
Somos todos e todas, sem exceção, criaturas... humanas... habitadas por Deus!
E o facto de sermos humanos, dá-nos muita fragilidade... e quanto mais fragillidade... quanto menos consciência tivermos da presença de Deus em nós!
Quando fazemos coisas menos boas... devemos ter em conta que são aprendizagens, são chamadas de atenção para a nossa fragilidade que necessita de autocorreção constante, pois temos de pensar seriamente em como não voltar a repetir as mesmas asneiras.
E não o devemos fazer para Deus gostar mais ou menos de nós, ou de ficar mais ou menos triste connosco, porque Deus é AMOR e a única coisa que pode fazer e faz é amar. Deus Ama a toda a gente!
Agora... quando vejo uma pessoa daquelas que vemos, sentimos e dizemos que é muito má... penso que alguma coisa errada anda por ali.
Deus/AMOR não consentiria que uma pessoa realmente má nascesse por Ele e com Ele!
Então... em casos destes... temos de pensar seriamente na razão porque as pessoas se terão tornado assim.
E o mais complicado nestes casos é que essas pessoas ‘más’ na maioria dos casos estão tão cegas que se julgam imensamente boas... as outras é que são más, não as compreendem... e por aí além!...
Ai... gente boa! Ainda não encontrei o caminho para descobrir a raiz destas verdades... mas que ando atrás dele, lá isso ando!
Claro que não é justo criticar as atitudes das pessoas, o que fazemos muitas vezes, falo por mim. E se olhássemos o bem que a pessoa é capaz de fazer... e de algum jeito conseguíssemos que fosse capaz de distinguir o bem do menos bom... para começar a optar pelo bem?
Ainda não sei por onde começar, mas vai ser a minha próxima conquista, tenho a certeza.
Se cada um ou uma de nós fizer alguma coisa, ainda que pequenina, para que o irmão ou irmã melhore o seu comportamento, o mundo rejuvenescerá!
«»
Santa Teresinha do Menino Jesus (1873-1897)
carmelita, doutora da Igreja
Novissima Verba (Últimos Colóquios), 15/07/1897
A Irmã Maria da Eucaristia queria acender as velas para uma procissão e, como não tinha fósforos, vendo a lamparina que arde diante das relíquias, dela se aproxima mas oh!, encontra-a quase apagada, não lhe restando senão uma pálida luzinha no pavio carbonizado. Apesar disso, consegue acender a sua vela e, a partir dela, as da comunidade toda, que, daí a pouco, tinha todas as velas acesas. Foi, pois, esta pequena lamparina, quase extinta, que produziu outras chamas seguras, as quais, por sua vez, puderam produzir uma infinidade doutras e, até, incendiar o universo. No entanto, se quiséssemos determinar a origem desse incêndio, seria preciso reportar-nos sempre àquela minúscula lamparina. Como poderiam então as outras chamas, sabendo disso, gloriar-se de ter causado tamanho incêndio, uma vez que apenas foram acesas por contágio da pequena centelha? [...]
O mesmo se passa com a comunhão dos santos. Sem o sabermos, muitas vezes as graças e as luzes que recebemos ficam a dever-se a uma alma escondida, porque o Deus de bondade quer que os santos comuniquem uns aos outros a graça através da oração, para poderem depois dedicar uns aos outros um grande amor no Céu, um amor muito maior do que o de qualquer família da Terra, mesmo a mais perfeita. Quantas vezes pensei que todas as graças que recebi se ficaram a dever à oração que uma qualquer boa alma tenha feito por mim ao Deus de amor, e que só no Céu conhecerei. Sim, uma pequena centelha basta para fazer nascer grandes clarões em toda a Igreja, como doutores e mártires, que ocuparão no Céu um lugar bem acima do dela; mas nem por isso se pode concluir que a glória deles não será também a dela, porque no Céu não haverá olhares indiferentes; todos reconhecerão que se devem mutuamente as graças que lhes mereceram essa coroa de glória.
«»
O que uma vela de luz moribunda foi capaz de fazer?
O que as nossas pequeninas compreensões e atitudes serão capazes de fazer para que o DEUS/AMOR seja visto e vivido como tal!
Falar algo... eu queria... mas há coisas que não são de dizer!
Quem sabe... um dia... as poderei expressar em sentimentos mais profundos!...
Boa sexta!
HN

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

NÃO! NÃO QUERO DIZER-ME... MAS!...


Há dias e dias, segundos e segundos, situações e situações... que muitas vezes escondemos no mais íntimo de nós e pensamos seriamente que é ali que ficarão para sempre.
Diz-me a experiência que não!
Tudo o que dói tem tendência a espirrar, mais dia... menos dia!
Acho mesmo que é aqui que está a enorme diferença entre Deus e os Homens!
Deus, perdoa e esquece! O Homem diz que perdoa, tenta que esqueça... mas realmente não consegue esquecer!
Dizem as Escrituras que Deus odeia o pecado e Ama o Pecador... mas o Homem... que é cheio de fraquezas e debilidades, tenta esquecer... tenta perdoar a até perdoa porque consegue conviver com a pessoa errada e fazer tudo por ela... mas num ou outro dia... lembra e diz... mesmo sem o querer!
E depois disto, de nada vale o dizer que gosta ou ama a pessoa, porque essa pessoa que ouviu o que fez e não gostou... pois até pensava que tinha procedido bem, fica triste com quem não teve a coragem de calar a dor que pensava já estar esquecida... mas se remexeu e explodiu!...
Afinal... digo que não quero dizer-me... mas acabo com estas considerações inexplicáveis!
Quem sabe... com a ajuda do Espírito Santo de Deus... irão ajudar alguém.
«»

"CAMINHAR DE ACORDO COM O ESPÍRITO DE DEUS"

Jesus nos deixou o dom do Espírito Santo.

A nossa fé deve abrir o nosso coração à ação do Espírito de Deus em nós. Desse modo, conseguiremos caminhar de acordo com os seus ensinamentos, com as suas inspirações.
O discernimento sobre o que é bom e o que é mau, sobre o que devemos e o que não devemos fazer, é fruto de sua ação em nós, quando colocamos à sua disposição as nossas forças, a nossa mente e o nosso coração.
O amor mútuo, vivido efetivamente entre nós, está acima das leis e dos preceitos, porque o amor é a perfeição da lei, é o rigoroso cumprimento da vontade de Deus.
O amor que Jesus trouxe ao mundo não veio abolir a lei, mas levá-la ao seu verdadeiro cumprimento.
Quem ama é conduzido pelo Espirito de Deus e, por essa razão, não está mais sob o jugo da Lei. (Cf. Gl 5,18)
Abraços
Apolonio
«»
Como é possível... amar... e lembrar ao irmão ou irmã tantas coisas menos boas??? E depois pensar, ver, sentir profundamente... que a revolta dói... mas o amor perdura!
Será, realmente, que é bom este modo de proceder... ou será mais uma das fraquezas que temos... e não conseguimos reconhecer nem aceitar como Deus quer???
Quando os dias são difíceis... só Deus nos pode valer!
Que Ele não nos desampare e ajude a ser corretos, o mais possível, para o bem de toda a gente!
Boa quarta-feira!
HN  

sábado, 3 de novembro de 2018

E CHEGOU... NOVEMBRO!


Mês de Todos os Santos, dos Fiéis Defuntos... e de tantas coisas mais!
Todos os Santos, conhecidos e desconhecidos, humildes entre os humildes, grande parte deles sem ter ninguém por perto com dinheiro capaz ou suficiente para conseguir assegurar o necessário para os levar às honras dos altares!
Mas também isso não interessa! O que interessa é que, pelo menos uma vez no ano, todos são lembrados como filhos amados de Deus que O acompanham na plenitude da vida eterna como todos nós desejamos, um dia!
Santos, os Santos, foram pessoas como nós, com defeitos e qualidades, momentos mais fáceis e mais difíceis na vida, mas que tiveram a dita de colocarem tudo nas mãos amorosas de Deus vivendo amarrados no Seu Amor Misericordioso, Compassivo e Justo, e espalhando Amor ao seu redor, fazendo tudo por quem deles necessitasse.
Santo ou santa... é todo aquele ou aquela que sabe fazer quanto pode para....
«»
..."CRESCER NO AMOR A CADA DIA"
O amor sempre bate à nossa porta. Se abrirmos, ele entrará e se estabelecerá em nosso coração.
Em todas as circunstâncias do nosso dia, o amor nos faz um apelo para que nossas ações sejam uma expressão sua.
Cada vez que permitimos que ele entre em nosso coração, ele nos faz crescer em misericórdia, em paciência, em compreensão, em perseverança, em sabedoria.
Quando amamos crescemos na fé, crescemos no próprio amor.
O amor entra em nosso coração como o fermento na massa, fazendo crescer em nós todas as virtudes.
Cresce a esperança e a coragem de seguir em frente, amando sempre, de imediato e com alegria.
Abraços
Apolonio
«»
Chegou Novembro... que nos lembra tudo isto! Que nos chama a viver tudo isto! Que nos faz sonhar com a eternidade feliz junto de Deus... porque isso é ser santo!
Chegou Novembro, com frio no corpo... mas calor no espírito! Com saudade dos que partiram, mas muita vontade de orar por eles, e de os poder ver e abraçar um dia... não sei como... depois se verá!
Chegou Novembro,... o mês da Esperança que não morre... da saudade que faz sofrer e sorrir porque os nossos queridos estão junto de Deus à nossa espera!
Deus, Misericordioso e Bom, Compassivo e Justo, tudo fará para que sejamos um com Ele e com todos os Santos que com Ele convivem na eterna vida!
Que sempre seja louvado!
HN

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

SERVIR... ESTAR... SER PRESENTE!


 
Talvez tenha nascido comigo... e crescido um pouquinho com os demais!
Servir... tem sido o meu lema!!! Servir... por servir... simplesmente para ser presente a quem necessitar seja do que for!
Críticas... posso bem com elas! Aleijadelas... nem tanto assim! Trabalhos... às vezes são muito custosos!
Mas, tudo faz parte da vida... para ti... para mim... para toda a gente, sirva ou não sirva, seja ou não seja presente!
Mas... ser presente... servir... ajudar... é trabalho que se não deve abandonar!
«»
"SERVIR SEM PRETENSÕES"
 Quando prestamos um serviço aos irmãos, devemos analisar a nossa consciência para ver se estamos esperando uma recompensa. Porque qualquer pretensão que tenhamos faz com que esse serviço não seja feito com amor puro e desinteressado.
Não posso pretender que o irmão retribua, que se converta ao meu modo de pensar e nem mesmo que reconheça a minha boa intenção.
A heroicidade do amor está no fato de ele ser totalmente gratuito.
O servo que faz apenas a sua obrigação não é um servo perfeito. Devemos ir além do obrigatório e servir a todos, a todas as pessoas que encontramos diariamente. O pai, a mãe, o filho, os irmãos. O detento, o mendigo, o deficiente. O chefe do trabalho, a faxineira. O que pensa como eu e o que pensa diferente.
Quem ama verdadeiramente é aquele que serve a todos.
 Abraços
Apolonio
«»
Servir sem pretensões chama-se Amor à Jesus Cristo!
Que não é fácil... claro que não é!
Mas quem nos disse, algum dia, que a vida é fácil?
Nós é que temos de nos adaptar ao que nos vai surgindo no decorrer dos dias... para que a cabeça não descontrole e continuemos a servir, até quando Deus quiser!
Afinal... Ele é que manda!
Bendito seja!
Ora... estou agora a lembrar que isto é um texto muito curioso para a noite das ‘bruxas’!
Que raio será isso??? Prefiro pensar que amanhã é dia de Todos os Santos!
By, By!...
HN

terça-feira, 30 de outubro de 2018

O VALOR DAS COISAS!


Gostei muito do texto que me surgiu com este subtítulo!
Chamou-me à atenção para muitas coisas que me passavam despercebidas e espero, a partir de agora, valorizar mais.  Ou melhor dito, prestar maior atenção à diversidade de coisas que nos rodeiam e à forma como as olho e interiorizo.
Tudo quanto faço é por amor, ou melhor, está enraizado no amor!
Pode até sair algo errado, somos humanos, mas que tenho por hábito colocar amor em tudo quanto faço, é uma realidade!
Agora... vejamos!...
«»
"FAZER TUDO POR AMOR"
O valor das coisas.
Cada coisa tem um valor material e, acrescentado a isso, existe um valor emocional. Mas existe também um outro valor agregado, quando aquilo foi feito com amor e por amor.
O valor material muda segundo o mercado, segundo a circunstância e, ainda, segundo a visão de quem avalia.
O valor emocional muda segundo o momento e as relações envolvidas com aquela determinada coisa.
O valor agregado pelo amor com o qual foi feito, é imutável, porque vem de Deus. É para Ele que têm valor todas as coisas feitas por amor. É Ele quem valoriza tudo segundo o nosso amor.
A Sua misericórdia também nos é concedida segundo o quanto amamos. Jesus disse à pecadora que banhou seus pés com lágrimas e os perfumou, que muito lhe foi perdoado porque muito amou. (Cf. Lc 7,47)
Abraços
Apolonio
«»
Esta descrição... é maravilhosa! Mas, para mim, Deus não nos ama porque amamos, ama-nos porque é o que sabe e pode fazer.
Deus é Amor!
Se Deus deixasse de ser Amor deixaria de ser Deus... e onde iríamos todos parar???
Sinceramente, não consigo imaginar! No meio de todas as minhas fraquezas e defeitos que são muitos... não consigo imaginar-me sem Deus, porque só com Ele consigo ser minimamente feliz, ainda que chorando ou sofrendo!
Contudo, reconheço que, no rodar dos dias, não é muito fácil colocar amor em tudo!...
Precisa muito treino,  muitas negações a nós mesmos, muita força de vontade, oração, meditação, silêncio, muitas quedas e ressurgimentos, e, acima de tudo, muita ajuda do Espírito Santo de Deus!
Amor e Misericórdia andam de mãos bem apertadas. Viver o amor e misericórdia deverá ser a nossa maior conquista, que redundará na nossa maior consolação!
Fazer tudo por amor é usar de misericórdia para com quem nos não compreende e até magoa...
E se temos a certeza de que Deus nos ama e nos perdoa... é seguir os passos de Jesus/Deus entre nós para nos dizer e exemplificar o amor e misericórdia que Ele mesmo é e nos vai comunicando no decorrer dos dias.
Se escorregarmos e cairmos, não desanimemos, que o Deus Amor e Misericórdia está sempre disposto a levantar-nos das quedas.
Que sempre seja louvado!
HN

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

CORAGEM E VALENTIA


Coragem e valentia é resistir sem reclamar às provocações que nos vão fazendo ao longo dos dias! Penso que será mesmo a maior das coragens e das valentias! Ou melhor dito, para mim... é!
Depois de um sem número de treinos e recaídas... consegui ficar muito diferente do que antes era. Mas ainda assim... depois de pensar que rabujar estava esquecido... verifico humildemente que não está!
Porque... resistir às provocações, custa muito, de verdade!
Senão, vejamos o quanto nos custa quando estamos a fazer algo com todo o carinho e alguém nos vem criticar, quando arranjam maneiras de nos dizerem coisas que não correspondem à realidade, quando decidem fazer-nos reparos agressivos de defeitos que não temos... ou que já tivemos e agora conseguimos ultrapassá-los!...
Para resistir... ficar serena e calma sem se defender com qualquer desculpa, é muto difícil, é precisa muita coragem, muita determinação, muita valentia.
«»
"RESPONDER COM AMOR A TODA PROVOCAÇÃO"
Responder com amor às provocações é um ato de coragem e de inteligência, porque o bem conspira a favor de quem ama, a paz reside em um coração amigável e a felicidade não se afasta de quem sabe perdoar.
Distribuir amor em meio a ofensas é não perder o rumo certo e ser luz para quem está no erro.
Quem responde às provocações com amor nada tem de ingênuo, mas possui a astúcia dos sábios que sabem recolher as pedras que lançam contra eles, para construir uma fortaleza contra o mal.
Não diga que é impossível, antes de tentar pelo menos uma vez.
Você verá que o amor é mais forte que tudo e consegue eliminar o ódio dentro de nós.
Abraços
Apolonio
«»
Eu penso em coragem e valentia, e vem-me o Apolonio falar em inteligência! E com muita razão! Só que eu ainda não tinha encontrado jeito de pensar assim!
O perdão está estritamente ligado ao Amor! Então, só quem é capaz de amar é capaz de perdoar!
Este texto... maravilhoso... foi ótimo para mim!
Espero que o seja para quem tiver a dita de o poder ler e meditar!
Boa noite... para uma boa terça-feira, bem recheada de muita inteligência, coragem e valentia!
HN

domingo, 28 de outubro de 2018

A ALEGRIA ALIVIA A VIDA!


É difícil pensarmos nesta verdade! Mas é verdade mesmo! A alegria alivia a vida! Faz-nos mais família! Família Humana e Família de Jesus!
Não aquela alegria das risadas loucas e espalhafatosas, das caras risonhas e dentes arregalados, mas aquela alegria que está presente no mais fundo do coração!
Aquela alegria de termos feito tudo o que podíamos em qualquer circunstância, de termos ajudado alguém com qualquer tipo de necessidade, de sermos presentes, com verdade e carinho, a tudo e a todos, de vivermos espalhando fraternidade, compreensão, amor!
Mesmo que tenhamos, esforçadamente, com a ajuda do Senhor, conseguido ser um pouco assim, pode haver recaídas inesperadas, momentos de desatino em que nos parece termos perdido o autocontrole... mas ainda assim, não podemos perder a alegria, porque Jesus não veio para os justos, mas para os pecadores. E quando estamos com dificuldades acrescidas é que mais nos acaricia, ajuda, pega ao colo!
Então, detentores destes conhecimentos, reais e verdadeiros, ficar tristes para quê? Viver tristes para quê?
A tristeza não ajuda em nada, muito pelo contrário, afasta-nos do bom, do bem, do urgente e preciso!
«»
Hermas (século II)

O Pastor, 10.º preceito
Quando o homem indeciso fracassa um propósito, a tristeza toma conta da sua alma, consterna o Santo Espírito e expulsa-O. [...] Afasta pois do teu coração a tristeza e não apagues o Espírito Santo que em ti habita (1Tess 5,19), não vá Ele falar a Deus em teu desabono e abandonar-te. Porque o Espírito de Deus, que foi posto na tua carne, não suporta a tristeza nem a perturbação.
Cobre-te de alegria e faz disso um deleite: eis o que agrada a Deus, eis o que Ele acolhe favoravelmente. Pois todo o homem alegre age bem, pensa bem e espezinha a tristeza. O homem triste, ao contrário, age sempre mal; primeiro, faz o mal porque entristece o Espírito Santo, que foi dado ao homem na alegria; depois, cai na impiedade por não orar ao Senhor e não O louvar. Porque a oração do homem triste não tem força para se elevar até ao altar de Deus. [...] Tal como o vinagre misturado no vinho lhe adultera o sabor, também a tristeza misturada com o Espírito Santo enfraquece a eficácia da oração. Purifica pois o coração dessa tristeza perniciosa, e viverás para Deus, assim como todos os que se tiverem despojado da tristeza e coberto de alegria.
«»
Esta meditação veio mesmo a propósito! Hoje, caiu-me do céu como uma luva quentinha, a aconchegar-me o coração!
Nunca me tinha passado pela cabeça que a nossa falta de alegria entristecesse o Espírito Santo de Deus!
Talvez esta linguagem seja bastante humana... mas que DEUS nos criou para sermos alegres e felizes, é um facto!
Então... quando a tristeza nos bater à porta, afastemo-la de nós! Se estivermos desencorajados, peçamos a ajuda de Deus Pai, de Jesus, de Maria, dos Santos que á estão com o Senhor na eternidade, e a tristeza não terá outra alternativa senão afastar-se de nós!
Que Deus nos ajude!
HN

sábado, 27 de outubro de 2018

MOMENTOS... PROPÍCIOS À AÇÃO!



Outubro, um mês Missionário por excelência, está a acabar.
Quando se fala em missionários lembramos de imediato as pessoas que deixam as suas terras para se dedicarem a levar a obra de Jesus Cristo a quem nunca dela ouviu falar
Mas não! Não são só essas pessoas totalmente dedicadas à missão que são missionários, porque, missionários, são todos os batizados!
Oxalá que este mês nos tenha levado a aprender que todos os cristãos são missionários nos meios ambientes onde estão inseridos. Mais do que nunca os cristãos devem procurar ser cristãos de verdade, verdadeiros seguidores de Jesus Cristo, verdadeiros imitadores das Suas ações, verdadeiros leitores, estudantes, meditadores, interpretadores das Suas Palavras para as poder mostrar, mais do que com palavras, com o modo como as aplicam em todos os momentos e ocasiões da vida.
Temos momentos de fraqueza, claro que temos. Somos Humanos! E é nesses momentos de fraqueza que Jesus, que nos ama por demais, nos pega ao colo!
Tenhamos isto em consideração e não desanimemos nas nossas inúmeras fraquezas!
Foi por causa das nossas fraquezas e fragilidades que Jesus veio ao mundo, para nos ensinar que é nas fraquezas que melhor nos encontramos com o Senhor!
Se todos os cristãos, batizados no Espirito Santo de Deus, Água Viva que nos limpa de todo o pecado ou desamor e nos dá a Vida Nova da Graça, vivessem o cristianismo a sério, com a alma, o coração, o querer e a vontade em todas as situações da vida... haveria muito mais Luz e Amor no mundo.
«»
São Josemaría Escrivá de Balaguer (1902-1975)
presbítero, fundador
Homilia «Trabalho de Deus», em «Amigos de Deus», §§ 61-62
«Cristo», escreve um Padre da Igreja, «escolheu-nos para que fôssemos como lâmpadas; para que nos convertêssemos em mestres dos outros; para que atuássemos como fermento; para que vivêssemos como anjos entre os homens, como adultos entre crianças, como espirituais entre gente somente racional; para que fôssemos semente; para que produzíssemos fruto. Não seria necessário abrir a boca, se a nossa vida resplandecesse desta maneira. Sobrariam as palavras, se mostrássemos as obras. Não haveria um só pagão, se nós fôssemos verdadeiramente cristãos.»
Temos de evitar o erro de considerar que o apostolado se reduz ao testemunho de umas quantas práticas piedosas. Tu e eu somos cristãos mas, ao mesmo tempo e sem solução de continuidade, cidadãos e trabalhadores, com obrigações bem nítidas que temos de cumprir exemplarmente, se deveras queremos santificar-nos. É Jesus Cristo que nos estimula: «Vós sois a luz do mundo. Não se pode ocultar uma cidade situada sobre um monte. Nem se acende uma candeia para a colocar debaixo do alqueire, mas sim sobre o candelabro, e assim alumia quantos estão em casa. Brilhe do mesmo modo a vossa luz diante dos homens, a fim de que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem vosso Pai que está nos céus» (Mt 5,14-16).
Seja qual for, o trabalho profissional converte-se numa luz que ilumina os vossos colegas e amigos. Por isso, costumo repetir [...]: que me importa que me digam que fulano de tal é um bom filho meu - um bom cristão -, se é mau sapateiro? Se não se esforçar por aprender bem o seu ofício, ou por executar o seu trabalho com esmero, não poderá santificá-lo nem oferecê-lo ao Senhor. Ora, a santificação do trabalho ordinário constitui como que o fundamento da verdadeira espiritualidade para aqueles que, como nós, estão decididos a viver na intimidade de Deus imersos nas realidades temporais.
«»
Normalmente surgem, assim, textos como este, que nos enchem de vontade de ser tudo quanto nos aliciam a fazer!
A santidade consegue-se na totalidade da vida e não alguma ações ou atitudes encarnadas na mesma!
Teos de tentar ser perfeitos em tudo! Ou se é perfeito em tudo... ou a perfeição em nós não existe!
E não pensemos que somos muito equilibrados e capazes, porque ao surgirem aquelas dificuldades que nos despedaçam em a vida em bocados... acabamos por cair como criancinhas a aprender a caminhar! Ou então... sou eu... que sou imensamente fraquinha!
Mais um fim-de-semana, o do trigésimo domingo comum C, com todas as aprendizagens de que está impregnado!
Que nos sirvam para nos ensinar a servir como a todos convém, para maior Glória de Deus e edificação dos Homens e Mulheres!
Boa noite... para um bom Domingo!
HN

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

FONTE DE VIDA!...


Fonte de vida... talvez... Fonte... de fontes de vida!
Sim! Porque a fonte de toda a vida é Deus/Jesus Cristo e o Seu Espírito Santo!
E cá na terra que criaram, para a vida terrena que vivemos... temos o Sol que é luz e vida, temos a Água que é fonte de vida, temos o ar que respiramos sem o qual não pode haver vida, e temos a própria Terra de onde brota toda a alimentação que nos sustenta a vida, e temos os homens e toda a espécie de animais que dão continuidade à vida!
Tanto que dizer acerca da vida!
Tantas coisas de que depende a nossa vida e tanto que necessitamos para dar continuidade à vida: uma infinidade de especialistas, médicos, enfermeiros, criadores das mais diversas e sofisticadas máquinas usadas para descobrir e levar à cura das mais díspares enfermidades e dar mais dias à vida!
Agora... os cuidados a ter com a vida... que acabam por ser, também, fontes de vida.
Os cuidados começam logo que a vida surge, no ventre da mãe humana ou animal... ou no seio da Terra!
Se a vida nascente não tiver os cuidados necessários nunca chegará a crescer, amadurecer, dar frutos!
Agora... os frutos da vida podem ser muitos... e das mais variadas espécies... mas o maior e mais importante dos frutos é mesmo o Amor!
Sem Amor a vida não consegue sequer conservar-se viva. Tudo necessita de Amor, Amor por si mesmo Amor para dar.
E quando se fala em Amor, Amor verdadeiro, sem O evocarmos diretamente, estamos a falar da presença de Deus, no crescimento e desenvolvimento de animais e plantas que se desenvolvem de uma maneira espetacular, no crescimento pessoal de cada um ou uma de nós, nas nossas aprendizagens e desenvolvimento pessoal e social, nos nossos relacionamentos...
De facto, sem Deus não há vida, não pode haver, porque Deus, realmente, é Vida, comunica Vida, protege a Vida, está presente à Vida e na vida de cada ser!
E é deste conhecimento e da sua vivência no decorrer dos dias que somos capazes de conseguir a conquista de alegrias, de encontros, de crescimento, de um início daquilo a que chamamos felicidade que só o será realmente na Vida Nova que nos irá surgir aquando da nossa partida desta Terra linda onde fomos colocados e chamamos de Vida Eterna!   
«»
"SER SEMPRE FELIZ"
Tomar a decisão de ser sempre feliz não significa ir em busca de prazer, diversão, conforto, fartura de bens. Posso ter tudo isso e não ser realmente feliz.
Sou verdadeiramente feliz quando amo sempre, em qualquer situação: quando sou pobre em espírito, isto é, desapegado de tudo; quando sou manso e humilde de coração; quando promovo a paz em todos os ambientes; quando amo, mesmo estando triste, mesmo quando choro; quando procuro ser justo comigo mesmo e com todos; quando sou misericordioso; quando amo sem interesses, com um coração puro; quando sou fiel a Deus, mesmo sendo injuriado ou perseguido por sua causa.
Sou sempre feliz, quando vivo as Bem-aventuranças. (Cf. Mt 5,3-16)
Abraços
Apolonio
«»
Agora, para fazermos, na vida, uma bela caminhada rumo à Verdadeira Felicidade, aproveitemos as sábias palavras do Apolonio!
Ser feliz não é rir nem chorar, ser pobre ou rico de dinheiro e haveres, não é ter altos cargos e dar nas vistas, andar bem vestido, ter grandes habitações ou meios de transporte... mas viver bem ao jeito de Jesus Cristo sob a inspiração do Seu Espírito Santo, amando, servindo, dando-se gratuita e alegremente ao que estiver ao nosso alcance ajudar e a quem de nós necessitar!
Boa noite, com bons sonhos de alegria e felicidade!
HN

O SILÊNCIO DA NOITE!


Noite, escuridão, podem ser coisas que nos assustam!
Há uns bons anos atrás assustariam mais, não existia a eletricidade para iluminar as estradas e caminhos, mas a Lua e as Estrelas, que agora quase passam despercebidas, eram o verdadeiro encanto da noite!
Noite... ausência da luz do dia! Escuridão... ausência de luz!
Então... a verdadeira verdade é que o que realmente existe é a luz! É noite quando a luz do Sol se ausenta! É escuro quando algo esconde a luz, seja do que for!
De qualquer forma... o silêncio da noite é muitíssimo importante!
É uma paragem para descansar, para parar, para pensar, meditar, ver o que fizemos de bom durante o dia... para nos prepararmos bem para o dia seguinte de modo a sermos mais presentes aos nossos familiares e aos outros irmãos e irmãs que connosco se forem cruzando no decorrer do tempo que nos for dado viver.
Precisamos de fazer silêncio dentro de nós para nos olharmos mais profundamente e podermos avaliar as nossas boas ou menos boas atitudes, as nossas qualidades a desenvolver e defeitos a corrigir, a forma como conviver com os demais que lutam como nós por uma vida melhor, mais Humana e Cristã!
Se pensarmos bem, o silêncio da noite é urgente para todos nós!
E quando não se faz silêncio de noite... teremos que o fazer durante o dia, o que não é a mesma coisa, é diferente!
E durante os nossos minutos de silêncio, não devemos prender-nos na descoberta do mal que fizemos como maneira de o corrigir... mas de pensar no bem que fizemos e no muito mais que poderíamos ter feito... é uma maravilhosa forma de fugirmos do mal e praticar o bem!
Nós seremos sempre o que forem os nossos pensamentos! Se pensarmos no negativo, nunca poderemos ser positivistas como a todos convém!
Fazer asneiras, acaba por acontecer connosco, é um efeito do nosso ‘Ser Humanos’... mas não podemos prender-nos nas asneiras pois será ocasião de as praticarmos em maior quantidade.
Fomos criados para o Amor! E tal como é a luz que nos orienta e não a escuridão, é o Amor e as boas atitudes que nos orientam e não as coisas mal feitas que nos acontecem sem o querermos!
«»
Santa Teresa de Calcutá (1910-1997)
fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade
Todos nós desejamos ser felizes e ter paz. Fomos criados para isso e só podemos encontrar a felicidade e a paz amando a Deus; o amor traz-nos a alegria e a felicidade. Muitas pessoas pensam, sobretudo no Ocidente, que viver fazendo o que lhes apetece as torna felizes. Eu penso que é mais difícil ser feliz na riqueza, porque as preocupações para ganhar dinheiro e o conservar nos escondem Deus. De qualquer modo, se Deus vos confiou riquezas, usai-as para servir as suas obras: ajudai os outros, ajudai os pobres, criai empregos, dai trabalho aos outros. Não desperdiceis em vão a vossa fortuna; ter uma casa, honras, liberdade, saúde, tudo isso nos é confiado por Deus para o pormos ao serviço dos que são menos afortunados do que nós.
Jesus disse: «o que fizerdes ao mais pequenino dos meus irmãos, é a Mim que o fazeis» (Mt 25,40). Por consequência, a única coisa que pode entristecer-me é ofender Nosso Senhor por egoísmo ou por falta de caridade para com os outros, ou fazer mal a alguém. Ferindo os pobres, ferindo-nos uns aos outros, ferimos a Deus.
É a Deus que pertence dar e retirar (Job 1,21); partilhai pois o que recebestes, incluindo a vossa própria vida.
«»
Partilhar o que recebemos, tudo o que recebemos, os nossos haveres, as nossas qualidades, a vida!
Viver em comum(união)/comunhão com os irmãos, olhar as pessoas com carinho, ajudá-las nas dificuldades, ser-lhes presente!
É no mais profundo silêncio da ‘noite’ que nasce a luz na nossa consciência, no nosso pensar, no nosso querer e no nosso ser pessoas!
De noite... ou de dia... haja silêncio, momentos de silêncio na nossa vida, para nos escutarmos a nós mesmos, escutarmos o Senhor, sentirmos o Senhor, pensarmos na melhor forma de ajudar quem necessite, e na humidade de conseguir retirar dos demais as boas maneiras, boas palavras, gestos, sorrisos!
Aprendemos uns com os outros... sempre a partir... do silêncio... da ‘noite’!
Bom final de noite para uma boa 5ª feira!
De Colores!
HN